Não faço ideia do porque dessa exposição ter durado só duas semanas! Pouquíssimo tempo (de 11 à 22/06) e sendo que todos os dias a fila pra entrar durava em média 2h e 30 mim!

Seria tão ruim ter sido prorrogada? Se isso tivesse acontecido eu teria ficado muito menos do que as 3h na fila e consequentemente teria mais energia para acompanhar todos os depoimentos com cerca de 15 min de duração nos quase 16 monitores de tela 10 polegadas espalhados de dois em dois, ou quatro em quatro em cada uma das nove salas dessa exposição!Fiquei horas debaixo de um Sol do caramba e em cada sala me deparo com essas telinhas com depoimentos importantes de físicos, pesquisadores, artistas, cientistas, antropólogos…e mesmo sem um banco pra sentar eu insistia em acompanhar cada dela, mesmo sendo interrompida de segundo em segundo por pessoas super educadas que entravam na minha frente sem se preocuparem com a minha leitura. O povo acha de parar na minha frente pra tirar foto da tela, ou acompanhar 5 segundos de depoimento e sair para a sala seguinte! Aff

Fiquei besta com algumas coisas…a gente fica horas no Sol e na entrada eles nos dão copos d´água de graça!! Achei ótimo tomar uma água geladinha! Mas o problema é que não havia uma única lixeira pra gente jogar os copos plásticos vazios!! Fiquei bastante tempo com o copo na mão até encontrar uma lixeira. Antes disso cheguei a ver váarios copos jogados em cantinhos no chão e atrás de plantas.

Depois que bebi água me deu uma vontade de ir ao banheiro e… não havia banheiro no início da exposição!! Os únicos sanitários ficavam láaa no alto, no final da exposição e eu não podia utilizar o elevador pra chegar até lá! Olha só que coisa bacana!

Além das lixeiras serem escassas havia um problema: na lanchonete a gente compra salgado, suco e refrigerante e nada de ter uma lixeira com as indicações: plástico, papel, metal e orgânico! Acreditam!! só havia a indicação: uma lixeira escrito orgânicos e outra recicláveis!kkk

Sobre as instalações…duas ou três eram bem legais! Logo de cara a 1ª mostrava tudo que a natureza construiu e o que o homem destruiu e esse processo de destruição é feito por uma máquina que é o símbolo da presença da evolução do homem. Na sala seguinte só há números sendo atualizandos de segundo em segundo mostrando quantos anos ainda teremos petróleo, quantas crianças estão nascendo, quantas pessoas estão morrendo, quanto é desmatado, quanto é poluído…outras salas ficam só na beleza do colorido vibrante e tecnológico, mas não trazem nada de novo. O que me espantou nessa exposição foi que a grande maioria das instalações não fogem em nada àquelas feiras de ciências e tecnologia ou de literatura da escola, manja? Todo mundo já teve que fazer trabalho de final de ano no ensino médio, né!! Onde é que você vê poemas impressos em letras enormes espalhadas nas paredes? Maquetes de prédios que mostram a estrutura ecológica da construção? Maquete de um novo museu? A representação de uma floresta com sons e fotos?

Havia uma sala com um “efeito 3D” vergonhoso e outra que mostrava um vento forte e em seguida um calor do caramba pra fazer o carioca saber o que é a mudança drástica de temperatura ou as “forças da natureza” e não há nenhum aviso “mulheres devem vir de calça à exposição”…

A coisa boa que eu queria ver era a biblioteca com os 10 mil livros selecionados por personalidades, mas… acreditam que a sala estava fechada para um evento particular??? Foda! 3 horas  de fila + 2 h na exposição e não vi a melhor e última sala ¬¬

Só mais uma coisa: Os assuntos da Rio+20 eram os mesmos da Eco92 e o resultado segunda foi pior do que o da primeira! A estrutura da Humanidade2012 era imensa!! Quem lucrou com tudo isso?? Resposta: O MUNDO É QUE NÃO FOI !! http://ips.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=8432

Anúncios