Por quê SAlve Safo?

Na minha adolescência eu fui muito feminista. Pesquisava sobre as grandes mulheres do mundo que se destacavam por não se conformarem em ser exploradas pelos homens, em ter lugares que não podem frequentar. Em não terem direito algum de participar da sociedade, estudar, trabalhar, ler. Durante minhas pesquisas descobri que a Safo foi a primeira mulher a dizer não, a dar um basta e realizar mudanças. Em homenagem às mulheres que mudaram o mundo resolvi iniciar este blog. Que será dedicado à este propósito. Às revoltas femininas!

Safo nasceu na ilha Lesbos em + – 612 a.C na Grécia.
Ela foi uma poetisa maravilhosa. Representava dentre as mulheres a melhor poetiza do mundo e Homero o melhor poeta.

Ela foi a primeira mulher a aprender a ler e escrever no mundo! Conseguiu essa proeza numa época em que era proibido às mulheres e soube fazer muito bem a lição de casa, abrindo uma escola só para mulheres. Tendo conhecimento ela também participava da política lutando pelo direito das menorias.

Safo era apaixonada tanto por homens quanto por mulheres, algo muito comum entre os gregos da época que amavam uns aos outros pura e inocentemente. Venerava como ídolos Eros e Afrodite, talvez por isso, gostava de “meninos e meninas” (os deuses não faziam distinção sexual, eles apenas amavam). Mas essa realidade histórica não pôde ser compreendida por todos, principalmente por causa dos desprezíveis eclesiásticos que, ao ver o poder que ela tinha, a igreja, com apoio dos políticos começou a amaldiçoar a vida de Safo.

Aos 19 anos ela já era tão importante que começou a ser duramente perseguida e finalmente expulsa de sua cidade por causa do seus discursos políticos (por ser uma mulher a conspirar contra um ditador, Pítaco) e mais tarde pela igreja (por causa de seus poemas).

Por volta de 591 a.C. parte para a Sicília. Naquela época casou-se com um rico comerciante de Andros, que, falecendo em breve, deixou-lhe uma rica herança e uma filha, Cleis, que a mãe assim definia: “dourada flor que eu não trocaria por toda a Lídia, nem pela formosa Lesbos“. Ao criar sua escola para moças, onde lecionaria a poesia, dança e música se apaixonou por uma de suas alunas “Atis” e não foi correspondida.

Em 1073 suas obras, junto com as de Alceu, foram queimadas em Constantinopla e em Roma. Mas foram redescobertas poesias dela em 1897.

Após cinco anos exilada, volta para Lesbos, onde logo se torna a líder da sociedade local, no plano intelectual. Sedutora, não dotada da beleza na concepção grega da época (embora Sócrates a houvesse denominado “A Bela“), Safo era baixa e magra, olhos e cabelos negros, e de refinada elegância, viúva e vivendo numa sociedade que não tinha regras morais como hoje se concebem.

De fato, disse o mestre Platão:

“Há quem afirme serem nove as musas. Que erro!
Pois não vêem que Safo de Lesbos é a décima?”

A morte de Safo encontra-se nas anotações dos poetas Menandro, Estrabão e Ovídio. Eles contavam que ela havia se suicidado, ainda jovem, pulando de um precipício na ilha de Leucas, apaixonada pelo marinheiro Faonte. Mas também há relatos que ela morreu já na velhice.

FIM!

Por conta de tudo isso, admiro seu pioneirismo e sua coragem…por ter sido a primeira a mostrar que a mulher pode tudoo! Mas eu não sou lésbica. ABSOLUTAMENTE NADA contra galera =]  [kpc 01/12/2005]

 
Veja links sobre SAfo de LEsbos
.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s